10 de janeiro de 2010

Sabem aquela música do Oh mãe aquele moço bateu-me?

Sabem aquela parte em que o vocalista pergunta indignado "que raio de mãe és tu?".
Pois.
Foi o que eu tive vontade de perguntar à minha mãe depois de ter passado a manhã a receber mensagens do fuínha.
Então não é que o estupor lhe telefonou a pedir o meu número de telefone porque supostamente tinha ficado de ir a minha casa hoje à noite buscar não sei o quê e não podia e então queria avisar-me e já não tinha o meu número.
E o que é que a Dona Teresa fez? Cheia de boas intenções deu-lhe a porcaria do número.
Um número novinho em folha.
Um número que passei dois dias a mandar a todos os meus contactos para poder mandar o outro cartão à vidinha e com ele as mensagens do fuínha.
"Oh Ju, filha, mas eu pensei que tu ias ficar à espera e dei-lhe o número para ele te avisar".
A sério!
Já lhe disse... se eu voltar a ter de mudar de número só lho dou se ela jurar a pés juntos pela alminha das minhas avós todas que não o dá a ninguém.
Já só me apetece chamar nomes a tudo o que mexe!

1 comentário:

Voador disse...

Está a ver, menina, como eu tenho novamente razão quando digo que o meia-leca não é nada burro?

Já agora, há alguns telefones, o meu dá que podem barrar as chamadas aos números não desejados. Talvez suavize um pouco o seu problema com o fuínha...