21 de janeiro de 2010

17ª coisa completamente aleatória

Passar de um rato de bola (sim, dos antigos) para um rato sem fios é como passar de um opel para um mercedes.. para alguns.
Para mim... é estar um passo mais perto da insanidade mental. Eu devo fazer interferência e tudo quanto é wireless funciona aos soluços comigo.
A grande diferença é que com o rato antigo eu encontrava alguma paz de espírito na tarefa de tirar a bolinha e limpar as rodinhas. Dava-me uma sensação de controlo, de poder fazer alguma coisa para melhorar o funcionamento do bicho. Com este.. sinceramente já só me apetece atirá-lo à parede.

1 comentário:

Voador disse...

Então quando as pilhas estiverem fracas e a seta começar a girar feita louca e sem control é que lhe vai apetecer tirar o antigo da ratoeira e pô-lo de novo em acção!