24 de janeiro de 2010

19ª coisa completamente aleatória

Com tanta fotografia eu ando a ficar com vontade de arranjar uma tartaruga para me fazer companhia.
Depois penso no trabalho que dá e mudo de ideias.
Depois comparo com o trabalho que dá ter um cão ou um gato e sinto-me tentada outra vez.
Depois penso que a maior parte delas não dura duas semanas e mudo de ideias.
Depois penso que são um animal que a durar nos acompanha toda uma vida e pelo menos por morrer de velhice não nos dá desgosto e sinto-me tentada outra vez.
Depois penso que se eu morrer primeiro que a tartaruga ela pode ficar sozinha, sem ninguém para tomar conta dela que sabe-se lá se eu vou casar e ter filhos ou ficar sozinha e caquética, só eu e a minha tartaruga por quem hei-de ter uma afeição desmesurada porque é a minha única companhia e logo me aperta o peito a angústia de deixar assim a bichinha e mudo de ideias.
Depois penso que mesmo que eu não encontre ninguém e que fique sozinha a minha vida toda, que mais vale sozinha que com trastes como o último, podia deixar a tartaruga ao meu irmão que sempre é uns aninhos mais novo que eu e sinto-me tentada outra vez.
Depois penso que o irresponsável do meu irmão não foi capaz de tomar conta da porcaria de um tamagochi quando já tinha para aí uns 13 anos e que não ia deixar a minha companheira de vida nas mãos de alguém que não conseguiu manter vivo um bicho electrónico e mudo de ideias.
Depois penso que a bem ver o meu irmão é bem parecido, até tem piada e na realidade até cresceu para se tornar um homenzinho 5 estrelas e que possivelmente se vai casar com uma rapariga que, apesar de não o merecer como é óbvio, até é atinadinha e devem ter pelo menos uns dois putos que o meu irmão é louco por cachopos e que uma família assim devia saber tratar da minha adorada tartaruga que sempre me acompanhou quando mais ninguém me quis e sinto-me tentada outra vez.

Ai... as tartarugas são bichos tão complicados!

2 comentários:

Taralhoca disse...

A meu ver não há complicação nenhuma. Não compres nenhuma!
Bichos mal-cheirosos, que não prestam para fazer festas e têm mau-feitio.
A minha tem 18 anos cá em casa e não há maneira de morrer...

Voador disse...

E um cão ou gato? Já pensou nisso?

Já imaginou o que é chegar a casa cansada, irritada e zangada com o mundo e ter sempre lá um focinho e uma cauda a abanar, pronto para lhe dar duas lambidelas na cara, sem pedir nada em troca?!?